16 Sep

Japaratinga: Adversidade do ecossistema

Adversidade do ecossistema do município de Japaratinga, Litoral Norte de Alagoas, transforma-o num verdadeiro paraíso. O mar calmo, sem ondas de águas verdes com seus arrefeceres de corais propicia deliciosos passeios de jangada às piscinas naturais e permite mergulhos fantásticos aos adeptos do esporte. E, também, àqueles que não são atletas, podem admirar os corais e sua biodiversidade acompanhados de instrutores quando a taboa de maré está baixa, principalmente no Picão, local onde mais se pratica.

Japaratinga:



Japaratinga, atualmente, é considerado um importante pólo turístico, principalmente pela a beleza exótica de suas praias. A exemplo da Praia Barreira do Boqueirão – a principal delas com características primitivas, exerce fascínio aos visitantes e um deles são as nascentes de água mineral, onde se pode tomar banho de bica.

Até 1960 Japaratinga era um povoado que pertencia ao município de Maragogi. Atualmente, tem recebido incentivos e infra-estrutura para se tornar um balneário aprazível e uma cidade promissora aos visitantes. Oferece possibilidades de desfrutar cenários encantadores e naturais, formados de rios, manguezais e praias de águas tranqüilas. Podem ainda fazer passeios ao pôr-do-sol nas falésias e de jangadas à procura do Peixe-Boi em Porto de Pedras. A cada quatro viagens dos visitantes ao habitat do Peixe-Boi, três o vêem circulando, o que deixa os turistas extasiados.

Os cenários naturais de Japaratinga fazem do local um recanto ideal de lazer e de descanso. Para quem deseja fugir da vida atribulada da cidade grande e das badalações dos balneários eleitos como vip’s, é o mais indicado. Além de oferecer esses requisitos, é formado por uma excelente rede hoteleira, desde pousadas simples as mais sofisticadas e hotéis.
Dentre festividades que acontecem no município, destacam-se a da padroeira Nossa Senhora das Candeias, entre janeiro e fevereiro, e a festa da Emancipação, em 23 de junho, e o Festival de Abertura do Verão, em novembro.

Localizada a 115 quilômetros de Maceió e 125 quilômetros do Recife, o acesso a Japaratinga é pela AL-101 Norte até o fim ou, por outra opção agradável, entrando na AL-435 depois de passar pela usina Santo Antônio e seguir por mais 50 km, utilizando a Rota Ecológica .
É por esse caminho quer se atravessa povoados e municípios, como São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras, onde se deve dirigir com devagar para admirar o casario colorido à beira da estrada que se transforma em bucólicas paisagens, que remonta do Brasil-Império. Além disso, os moradores circulam normalmente a pé ou de bicicleta, ou ainda há também os animais.
Para chegar a Japaratinga é preciso fazer a travessia de balsa (R$ 6 por carro), cruzando Rio Manguaba e seguir por um trecho de terra. Sinais da rusticidade do local, mais tranqüilo que a vizinha Maragogi. O rio separa as cidades de Porto de Pedras e Japaratinga. É a rota de maior preferência dos visitantes nos últimos anos. Isso porque, além da travessia, proporciona um espetáculo à parte, admirando o manguezal e a união das águas do rio com o mar.
Além da travessia, os visitantes podem apreciar a beleza do local, fazendo passeios de balsa no Rio Manguaba. Os roteiros incluem passeio de ferry boat até o Portal de Bitingui e visita ao Porto do Varadouro, localizado no município vizinho de Porto Calvo.

O pernambucano analista de sistemas, Heitor Araújo, que mora em Pipa, praia do Rio Grande do Norte. Hospedado pela segunda vez na Pousada Doze Cabanas, declara: “A praia e a pousada são bucólicas. Gosto daqui pela tranqüilidade”. Estava acompanhado do casal de filhos ainda crianças.
Culinária caseira e tradicional – Em sua orla, no centro da cidade e nas proximidades do balneário são encontrados bares e restaurantes com uma culinária rica, exótica e variada à base de mariscos e frutos do mar, preparados a partir de receitas caseiras e tradicionais como Unha-de-velho ao capote ao molho de coco, Mariscos ao molho de vinagrete, Moqueca de cação, Polvo ensopado, Moqueca de siri e Moqueca de bagre.

Um exemplo da qualitativa e deliciosa culinária do local é o Venezia Tropicale, sob o comando do chef italiano Raniere de Rosso. No cardápio do restaurante há pratos da gastronomia italiana como o Rotollato ao forno de vitello temperado com folhas de alecrim, bacon, azeitona, cenoura, pimenta e salvia. Envolto em papel alumínio é levado ao forno por 50 minutos. Ou aqueles típicos da região como Lagosta grel.